quarta-feira, 25 de março de 2009

Reciclar o lixo? Não sem reciclar as pessoas!

Ai que ódioooooooo! Saco! Todo dia a mesma coisa, ando pela minha querida, amada e estressante São Paulo e vejo as mesmas cenas se repetindo, um dia alguém joga papel de bala da janela de um carro, no outro joga papel de sorvete pela janela do ônibus e olha que os ônibus têm lata de lixo embutida, isso me irrita!
Eu tenho um filho, se esses porcos não se importam dos filhos deles acabarem sem água pra beber lá na frente ao se tornarem adultos, eu me importo com o meu. As ruas estão repletas de lixo, sofás constantemente são encontrados em córregos e depois quando chove e ocorre enchentes vão culpar o prefeito. Caramba, a água mal passa pelas tubulações. Eles devem culpar as próprias mães que os colocaram no mundo, isso sim. Penso que essa gente joga lixo no chão das próprias casas, só pode. Não consigo compreender. Será que ninguém lê jornal?
Semana passada, um cretino asqueroso cuspiu no chão de uma farmácia, tem cabimento uma coisa dessas? Eu me segurei e saí porque senão o resultado ia ser os dois na delegacia dando explicações ao delegado, juro que senti vontade de partir a cara dele em duas metades, uma pra dar de presente pra mãe e outra pro pai. Francamente!
Não quero nem imaginar o futuro num país com esse calor insuportável, as pessoas não vão poder tomar banho, que bonito isso né? Principalmente porque não estamos na França, não fazemos perfumes como os deles. Porém, elegante mesmo seria as pessoas andando com as roupas sujas, as mãos meladas e sem descarga nos banheiros. Muito chique! Quanto tempo será que levará pra população morrer? Questionando de outro modo, quanto tempo um ser humano conseguiria sobreviver a isso?
Vamos respeitar o futuro das próximas gerações!
Sinceramente, me desculpem, mas não aguento, estou farta dessa falta de educação e desrespeito ao meio-ambiente e às próprias pessoas.
O pior é saber que essas "antas" (sem querer ofender os bichinhos), não estarão aqui pra viverem esses momentos mágicos proporcionados por eles. E os pequeninos nem imaginam o que os espera.
E pensar que há quem deseja e até acredita no Brasil saindo do 3º mundo, isso seria impossível mesmo que a situação econômica e financeira melhorasse, porque é impossível colocar um povo de 3º mundo num país de 1º.
Não precisamos reciclar só o lixo, precisamos reciclar as pessoas.
Sandra

terça-feira, 24 de março de 2009

Você não está

Você me fascina, não existe brilho mais lindo que seu olhar. Quanto ao seu sorriso, nada mais belo pra admirar.
Impressionante como basta estar em sua presença pra esquecer tudo. Você tem o dom de me tirar o ar, mexer com meus instintos, me arrepiar.
Fechos os olhos e sinto seu toque, seu cheiro e suas mãos.
Seus lábios brincam em meu corpo e nada mais me importa além dessa paixão.
Nossos desejos e pele se misturam, nossas bocas se procuram ardentemente.
Eu me perco em devaneios loucos e me deixo sucumbir.
Dos meus sonhos e anseios, por mais que eu tente não posso fugir.
Abro os olhos em desespero e você não está, aí nada mais me resta a não ser lhe esperar.
Sandra

segunda-feira, 23 de março de 2009

Brasil

Um país bonito por natureza, já dizia a canção de Jorge Ben.
Tropical, paisagens encantadoras, atrativo aos olhos de estrangeiros, um solo invejável onde "tudo o que planta dá". Não é assim?
E que povo hospitaleiro! Mesmo sendo maltratado em muitos lugares do estrangeiro, sofrendo inúmeras discriminações, recebe a todos como se fossem reis. Um povo alegre, bem humorado e sofredor!
Nem nossas praias, nem nossas metrópoles repletas de programas atrativos conseguem disfarçar a má distribuição de renda. A renda per capita é um grande problema por aqui.
Alguns acontecimentos são bizarros como os impostos utilizados para propiciar, entre outras coisas, tratamentos odontológicos aos nossos "queridos" políticos. Inclusive no exterior! Em contrapartida, o fato de tantos brasileiros passarem fome e não terem onde morar é só um mero detalhe. Afinal, cada um com seus problemas.
Aqui tudo é intenso, bom ou ruim é assim. A violência cresce de um modo assustador, facções se mantém no comando, as leis constitucionais privilegiam criminosos, a educação e a saúde deixam muito a desejar, porém, temos festas, muita cerveja, samba e pizza. Oba!
Brasil, país de futebol e carnaval, sol e mar, amor e ódio. Impressionante como não há meio termo, aqui se misturam alegrias e tristezas, orgulho e vergonha onde paraíso e inferno permanecem juntos.
Sandra

domingo, 22 de março de 2009

Respeitar as diferenças

Outro dia vi um rapaz numa cadeira de rodas numa dificuldade imensa para se locomover numa rua toda esburacada, precisou ser ajudado. Fiquei pensando no total desrespeito aos portadores de deficiência, lembrando que eles trabalham, estudam e pagam impostos cujo retorno dificilmente é favorável. Também já vi deficientes visuais com habilidades que nem de longe eu possuo. Fiquei pensando no dia a dia de cada cidadão com alguma deficiência e fiquei imaginando a luta diária pela sobrevivência além do desrespeito alheio. Se somos todos seres humanos, deveríamos agir como tal.
Deficiência temos nós que passamos os dias envoltos em nossos próprios problemas pequenos enquanto esses cidadãos, heroicamente, matam um leão por dia em cidades sem infra-estrutura.
Mudando o foco, cada pessoa tem uma característica física e é inadimissível que alguém tente ridicularizar outra pessoa por causa da cor da pele, estatura e inúmeros outros motivos. Todos sangramos, ficamos resfriados precisando usar lenços de papel, vamos ao banheiro, temos necessidade de comida, bebida, sono e sexo, ou seja, somos todos iguais.
O que importa, por exemplo, se fulano ou ciclano é gay? Ele paga suas contas, é feliz com suas escolhas e basta!
Outra atitude revoltante é o desrespeito aos idosos, essa eu confesso não compreender porque é a nossa sina a menos que a morte chegue antes. Estatísticas mostram que o Brasil do futuro será formado por cidadãos idosos, idosos esses cada vez mais capazes de trabalhar, resolver e fazer acontecer além das incontáveis experiências que eles podem nos transmitir. Portanto, vamos ceder os bancos reservados a quem tem direito! Alguém aí não quer ficar velho? Então se jogue de alguma ponte rapidinho, vamos, ande, não perca mais tempo!
Se eu me propor a falar sobre todas as formas de desrespeito ao próximo, acabarei em 2025 e olhe lá.
Se uma pessoa contraiu HIV, o que a faz inferior? Santa ignorância! Ainda não ficou claro que um abraço e um aperto de mão não fará mal a você, mas muito bem à ela?
Em suma, uma sociedade é formada por pessoas diferentes em gostos, aparências e uma série de outras coisas, um deve respeitar o outro, tratá-lo do mesmo modo como deseja ser tratado. Algumas comunidades ainda são formadas por pessoas cujo bem é comum, um exemplo disso são as tribos indígenas. No entanto, a modernidade trouxe uma diversidade de estilos e formas de aprendizado em que cada um possui um diferencial. As opiniões, o modo de encarar a vida e os fatos não são os mesmos, que bom. E viva as diferenças!
Pra quem não souber viver em sociedade, lá vai uma dica, florestas não faltam no Brasil! Boa sorte!
Sandra

sexta-feira, 20 de março de 2009

Desabafo

Empresas de Telefonia argh!
Nós consumidores pagamos as contas, adquirimos produtos e serviços, mas não recebemos o menor respeito.
Vocês, meus amigos, já tentaram fazer reclamações por telefone? Imagino que sim, pois é, eu também. Acreditem se quiser, na Telefonica me deixaram esperando 40 minutos ouvindo música, as vezes eles colocam um rock, naquele dia era uma música muito depressiva, confesso que até chorei. Tive a pachorra de cronometrar o tempo de espera e quando finalmente eu seria atendida a ligação caiu. Seria cômico se não fosse trágico.
Srª Telefônica, a lei mudou, não se pode deixar uma pessoa esperando muito tempo para ser atendida!
Resolvi entrar em contato com a Anatel, um modo de fazer reclamação contra a raínha Telefonica e estou aguardando o retorno que me prometeram, espero que não demore porque minha conexão está uma "merda".
Foi aí que tive uma idéia, enquanto espero uma resposta referente ao meu problema, resolvi ligar para a Embratel pra saber se atualmente já existe algum serviço disponível e favorável pra mim, então me disseram:
_ Por gentileza, ligue para o número x.
Liguei e me disseram:
_ Por gentileza, ligue para o número y.
Liguei e me disseram:
_ Para essas informações ligue para o número X (de novo?)
Naquele momento, pela primeira vez, pensei na vida triste e sofrida de uma bolinha de ping pong e me compadeci da coitada. Já era demais! Reclamei e a atendente desligou em minha cara. Depois não querem que uma pessoa se estresse! Confesso que fiquei doida, felizmente eu tinha anotado o número do protocolo, nome da atendente, dia e hora da ligação. Passei a tarde tentando falar com a indivídua, outra atendente anotou meu número e prometeu que ela me ligaria. Claro que não ocorreu, mas eu não desisto jamais e consegui falar com ela após um bom tempo de tentativas. Rasguei o verbo!
Resultado: não resolvi meu problema, mas lavei minha alma rs.
É isso, nós pagamos pelos serviços, o retorno é um total desrespeito por parte das empresas, mas a conta no início de cada mês nunca atrasa. Daí, sentei e comecei a escrever esse desabafo.
Sandra